ESSA É PRA TOCAR NO RÁDIO

untitled-z.jpg

Para quem conhece há algum tempo a cena musical de Santos e da Baixada Santista, o nome de Chico Marques é figurinha carimbada. Foi ele que, na década de 90, abriu, na porrada, espaço no rádio santista para o rock e o blues. E Chico nunca se restringiu aos artistas gringos, já que sempre que podia procurava divulgar os santos de casa. Foi ele também um dos primeiros a utilizar a internet como alternativa, quando o espaço nas emissoras locais começou a se fechar, em função de imposições comerciais cada vez mais pesadas definidas pelo tal mercado. Chico Marques, hoje, como ele mesmo diz, está “de férias”. Mas garante que se prepara para voltar em breve, nas ondas do rádio ou nos links da web. Antecipando esse retorno, o Parada conversa com ele aqui.

Los Lobos Bobos – Quando você teve a idéia “estúpida” de fazer um programa de rádio?
Chico Marques – Comecei a fazer rádio em Brasília, no início dos 80, na Alvorada FM. Lá havia um louco varrido do Rio, chamado Joaquim Jardim, que tinha um programa de rock and roll e de vez em quando me convidava para dividir o microfone com ele. O programa era caótico, sem roteiro, a programação era feita toda na hora, mas mesmo assim saía tudo redondinho. Ele seguia mais ou menos a trilha do Big Boy, de quem foi amigo lá no Rio. Mas comecei a trabalhar mesmo com rádio quando voltei a Santos, no início dos 90, a convite do Sérgio Righi, com quem trabalhava na TV Mar. Eu fiz parte do pequeno grupo que colocou a Enseada FM no ar, há mais de 15 anos. O Sérgio me convidou para montar alguns projetos especiais, baseado em algumas conversas de botequim que tínhamos de vez em quando. Dessa brincadeira nasceu uma grade de cinco programas semanais para a emissora.

radio_sp_silencioestanoar_14nov56.jpgLos Lobos Bobos – E quantos programas você já “inventou”?
Chico Marques – Não sei quantos programas já inventei. Nunca fiz a conta. Entre os que foram ao ar e os que ficaram no papel, calculo uns 100, mais ou menos.

Los Lobos Bobos – E na Enseada FM, foram só esses cinco programas iniciais?
Chico Marques – Não, não. Lá devo ter criado, ou ajudado a criar, algo em torno de 30 programas diferentes. Eram programas pré-gravados, utilizando as vozes dos locutores da casa e tinham que ser redigidos, produzidos e gravados com antecedência. Nenhum deles ia ao ar ao vivo. Havia na época uma preocupação meio exagerada com a plástica desses programas,o que aos poucos foi caindo. Quando a Enseada FM virou “rádio rock”, apenas dois programas sobreviveram: Rock Classics e Blues Power. Os dois crias minhas. Consegui convencer o Sérgio Righi a fazer o Rock Classics em dobradinha com o locutor do horário, operando como comentarista musical. E propus também apresentar o Blues Power, que continuaria a ser pré-gravado. Foi quando saí dos bastidores para virar comentarista de rádio. Isso aconteceu por volta de 1993.

radio_1.jpg

Los Lobos Bobos – Rádio pra ouvir no rádio ainda dá pé ou a luz no fim do túnel é a net?
Chico Marques – Acho que a radiodifusão tradicional está morrendo, pois mais que os ideólogos da TV digital digam que não. As TVs locais roubam anunciantes das rádios o tempo todo, e o caso é que, por menor que sejam seus custos operacionais, ninguém gosta de ver sua receita minguando ano após ano. É o que acontece com os donos de emissoras de rádio aqui em Santos. É muita gente dividindo um bolo que nunca cresce, e só diminui de tamanho. E o que é pior: todo mundo insiste em querer brigar pelo mesmo público, bem pouco qualificado, oferecendo produtos muito semelhantes. Não é à toa que o nosso dial parece uma coisa só. É tudo meio igual mesmo. Ninguém aposta na diversidade.
Nos EUA, as rádios digitais, como a X Sattelite Radio — que produz um programa onde Bob Dylan é disc-jockey –, estão indo bem, com assinaturas na faixa de 6 dólares mensais. Elas têm uma base de ouvintes bastante sólida e já podem ser consideradas como viáveis, em todos os sentidos. Por lá, claro. Além do mais, vendem seus programas para os mercados europeu e japonês. São altamente rentáveis. Podem ser captadas em casa ou no carro direto do satélite.

Los Lobos Bobos – Tá faltando “radio de net” na Baixada Santista pro público da Baixada?
Chico Marques – Com certeza está. Acho que existe um certo comodismo nisso, principalmente da parte das universidades locais, que deveriam incentivar esse tipo de atividade, fornecendo servidores e suporte técnico, o que essas entidades têm de sobra e não usam. Tenho certeza de que, se fizessem isso, um monte de projetos muito interessantes apareceriam do dia para a noite.

348bre_rcc.jpgLos Lobos Bobos – E a cena musical em Santos? O espaço pra músicos e música e pra a informação sobre ambos aumentou, diminuiu, tá do mesmo tamanho ou, na verdade, nunca existiu?
Chico Marques – A cena musical em Santos é muito triste. Conversando tempos atrás com uma amiga que mora em Boston, ela disse que não conseguia entender como não existem na cidade — que é repleta de universitários –lugares descolados com novas manifestações musicais. Em Boston, é o que mais tem. E aqui todo mundo se limita a tocar aquele trivial variado das programações das rádios populares. Quase ninguém canta material próprio. Já virou um problema cultural. Sinceramente, eu não soube o que responder a essa amiga. Também não consigo entender isso. Tem um amigo meu, promotor de eventos de longa data, que desistiu de trabalhar com artistas diferenciados, alegando que “não adianta, Santos é uma cidade de batuqueiros, é perda de tempo e dinheiro”. Talvez ele estivesse certo, afinal. O que é uma pena.
Los Lobos Bobos – E como vai o Blues Power, que até alguns meses atrás espantava o tédio das nossas noites de segunda-feira?

Chico Marques O Blues Power está em férias. Mas volta logo. Só não sei ainda aonde. Me aguardem.

10_anos_radio.jpg

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s